Tratamento

Em posse do diagnóstico, inicia-se o tratamento psicopedagógico clínico, que visa a superação das dificuldades apresentadas, desenvolvendo as habilidades básicas necessárias para um aprendizado efetivo, através de um programa de reabilitação, bem como orientação à família e escola.

O atendimento é individualizado de maneira que se possa desenvolver modelos interventivos que atendam a especificidade de cada caso. Há que se considerar para o disléxico, na esfera da linguagem, as questões relativas aos problemas desde a decodificação na leitura, até a compreensão e capacidade para análise crítica e interpretativa, reabilitando os aspectos do processamento visual e auditivo.

O mesmo se aplica às questões da escrita visando o desenvolvimento desde a codificação (compreendendo a relações ortográficas corretas) ao redigir textos de forma clara e concisa, utilizando-se da modalidade da escrita formal.

Trabalhar com o disléxico significa entendê-lo como parte integrante de uma família, escola ou trabalho e área social; ou seja, o atendimento precisa contemplar todas as áreas de sua vida e atender eficientemente as demandas de sua faixa etária. O profissional precisa lidar, sobretudo, com a família e com a escola, de forma que se configure uma parceria: cliente, profissional, família e escola.